Não perder, encontrar.

Por 90 minutos eu perdi o meu casado hoje cedo. Fiquei demasiadamente mal. Não conseguia prestar atenção na aula. Não fazia exercícios. Nem sequer ouvia o que o professor de biologia dia, ou depois o de matemática. Minha mente estava na exosfera. Queria ficar o mais alto para poder ver se encontrava o que era MEU. Não pelo preço (que nem é tanto assim), mas pelo apego, pelo sentimento “é meu casaco”. Repentinamente, fechei os olhos e não mais enxergava a Vicente Machado, ou Curitiba, ou Paraná. Viajei para Campo Grande, me encontrava na Rua das Garças. Passei a imaginá-la lá. Sentada. De coque no cabelo. Concentrada na sua prova. Na mais simples forma de perfeição. Bateu o sino. Não podia perder o meu casaco. Fiz o caminho de volta e adivinha… Encontrei. Graças a Deus ninguém o pegou. E assim é contigo, meu amor. Você está longe. Mas quando bater o sino eu volto. E mesmo que teremos apenas dois dias. Eu serei seu e só seu. Você será minha e só minha. E então, meu amor. O sino tocará. Nossos nomes estarão na lista. E como em um piscar de olhos. Estaremos eu e você no início da estrada para o nosso futuro. Juntos. E isso tudo só depende de nós. Apenas de nós. E eu estou disposto a não te perder. Vamos lutar. Vamos vencer. Pois em você eu me encontro. Com você eu me completo. E que o amanhã seja estupendo! Eu. Você. Nós. Apenas. Não vou perder, mas te encontrar. 

E agora chove

Exatamente agora chove 
E meu coração, frágil, esmolece.
E o que sinto agora sei que prova
Que meu amor por você apenas cresce.

Sei que saudades é um sentimento puro
Que nos enche de tristeza e vontade,
As quais nem sempre são sanadas
Pois infelizmente ainda não temos idade.

Daqui posso ver a lua
Que em seu auge de vigor 
Chega só aos pés da maior beleza que é sua.

Preciso muito de você aqui, agora
Para matar essa saudade
Que me corrói de dentro para fora.

João Lucas Rocha - 29/09/13 - 02:47

Sete

Começou o dia cansado - com o coração daquele jeito; vontade imensa de ficar em casa e curtir a cama dele.
Levantou depois da noite extremamente curta para enfrentar o dia longo. Resolveu os dilemas básicos do dia e foi à luta.
Passou horas lá, tentando se concentrar - tentando não olhar pra ela… Curioso, queria adimirá-la. “Mas que linda!! E como pode?” — pensava ele.
E, passada a tarde, ansiava pelas 7, 7 que nunca chegava…
Chegou as 7, e quando a viu, (…)… Exatamente isso: Silêncio (shh, ouça o silêncio). Pois é, não conseguia explicar, apenas não dava.
Era linda, categórica, demais!
E depois de sozinho, na hora de dormir, como podia? Aquele cheiro continuava lá - suave, mas marcante. E os pensamentos voavam. Tudo isso foi perfeito. Complicado é superar. Muita coisa não se pode explicar; fatos, histórias, opiniões, o silêncio das 7, pessoas, pessoa, você.

Vida

A vida é bela,
Triste é a cela, o Amor,
Que te prende
E causa muita dor.

Não obstante,
Porém tão grande, o Amor,
Que traz vida, vigor e rigor
Ao teu coração.

Às vezes, muito tristes,
Decepções terríveis,
Que te deixam mal
E fora do normal.

Mas mais tarde,
No tempo certo,
Ouvirás o metrônomo,
E deixarás de ser mordomo.

Pois tu foste nascido,
Não para ser sofrer assim,
Mas para ser servido,
Enfim, mesmo com tanto mal.

O andamento que escutas,
Agora te ajuda,
A dançar conforme a música,
Neste mundo, que, apesar de tudo
Ainda é sensacional.

João Lucas Rocha

Você, afinal, passou de combustível diário a apenas um anseio meu. E o bom disso é que você não me faz mal como fazia antes, me deixando louco e totalmente idiota. Hoje sou só mais um bobo que vai aprendendo a esquecer dos clichês, me desviando deles. Deixei de me preocupar em te abraçar com meus olhos e de te proteger tanto com meus braços (que ficaram fadigados). Mas nada disso foi à toa - não era pra ter sido mesmo e a gente cresce com as ilusões quando criança. Bom é o agora, quando começo a cair de verdade na real e aprender mais a lidar com os sentimentos. Porque querer não é poder.

Âncoras que me prendem ao passado… Uma das respostas talvez.

Eu comecei há uns 40 minutos a tentar tirar da cabeça um acúmulo absurdo de pensamentos. E absurdo não é exagero agora - talvez seja pouco pra descrever a quantidade (tá, agora foi exagero.). Mas é… 

Estou simplesmente cheio, mas não entendo a minha dificuldade de colocar tudo isso pra fora, assim como estou fazendo agora (bem brevemente, mas estou).

É um conjunto de arrependimentos, causas de um aperto no peito, uma história de vida que não se explica por si só que tem as respostas mais chatas de encontrar, ação que exige muito de mim - exige mais vontade do que tenho, mais coragem do que tenho, mais amor do que tenho (ou até mais raiva do que tenho) - tanto que realmente me prendem ao passado - me prendem a essas perguntas sem respostas que estão presas a âncoras nesse rio da vida, impedindo que a natureza simplesmente leve tudo isso embora. Espero somente por uma tempestade, uma chuva tão forte que quebre as correntes, que levará tudo isso embora, todos esses sentimentos que me afligem, que me apavoram. E, considerando que muito disso depende de mim mesmo, espero que Deus me ensine a provocar uma correnteza mais forte ou que Ele me dê as forças dele pra levantar essas âncoras que me prendem ao passado.

João Lucas 

Significante parte da minha história pra mim

Bom, esses três últimos posts foram escritos há um bom tempo enquanto estava cegamente apaixonado. Me arrependo muito de alguns estágios, alguns picos desse tempo; nestes, fui extremamente meloso, dramático e outras cousas mais. Não me arrependo de tudo, pois muitas partes dessa minha história foram para mim construtivas para uma resistência emocional, assim como para uma maturidade a mais em relação a outras pessoas da minha idade (que não mesmo é exagero meu) e tal. Postei despreocupado, pois acho que realmente ninguém mais passa por aqui, mas mesmo que alguém veja isso (…) faz parte da minha história. Até uma próxima. :)

Boca virgem

Menina de boca virgem, possuidora de lábios perfeitos jamais tocados por outros lábios. Menina de boca virgem, permita-me beijar-te, tocar-te, permita-me pousar meus braços entorno de seu esbelto jovem corpo, permita-me amar-te. Menina de boca virgem, pelo seu tempo espero, o tempo que estarás pronta, pronta para ser beijada. E se eu te desse uma surpresa, um repentino beijo?

Três anos

Três anos e pouco ‘sofrendo’ de amor - pouco tempo para alguns (para os românticos trovadores talvez), ou muito para os jovens deste século XXI (que tão diferente têm se tornado) . Meu recorde até agora. Neste período aprendi que pode-se aprender com o sofrimento, com as dores; pode-se crescer mentalmente, amadurecer fisicamente (um pouco mais que o natural de propósito) etc. Um dia me disseram que o amor não é amor quando te faz mal, mas não passa de uma paixão. Entretanto, discordo. Perder-se no amar lhe fará cair; porém, só assim aprenderá a se levantar. No final, então, o “mau sentimento” fará a você bem. Insignificantes

Rima bobinha.

Um tanto bobinha a rima.
Ela, menina linda aos olhos de outros, perfeita aos do meu coração.
Com este vulnerável, frágil e vital órgão te amo de uma maneira bastante sem noção.
Aí está uma rima. Um tanto bobinha, mas que serve de declaração.

Insignificantes

I still don’t know what to do…

I went to your home for the third time and I didn’t know what I was doing there, then I simply got frozen. I stayed there in front of your place for two minutes. I was aware of that the more I stayed, more dangerous it became, but I still stayed there long.

insignificantes